terça-feira, 15 de junho de 2010

Palavras assíduas

       Reconheço que não tenho sido tão convincente. Minhas palavras já não são suficientes ao expressar o que se passa aqui, perto de mim. Eu tenho medo, e por muitas vezes não sei como agir, muito menos me expressar. Meus pensamentos andam longe, bem longe. Coração apertado, meras consequências dessa minha indecisão. Insegurança, talvez seja a palavra certa para me justificar. Ou não. No fundo, sinto bem que não devo me justificar, afinal sou eu quem carrego o peso de minhas próprias atitudes, não é? Pois bem. Mas sinto a necessidade de esclarecer os fatos, talvez até para que eu mesma possa finalmente me compreender. Posso lhe dizer que meus dias têm sido relativamente agradáveis. Tenho pessoas muito queridas ao meu redor, e agradeço muito a Deus por isso. Mas sinto que ainda há um espaço vazio a ser preenchido. Pode parecer estúpido, mas mesmo em meio á multidões, uma única pessoa pode fazer falta. E faz! Há um certo receio em me expressar mal e as coisas acabarem como não deveriam. A ênfase das palavras pode ferir mais do que se imagina e não é nada gratificante passar por isso. Infelizmente, uma hora ela simplismente escapula. Preciso me controlar (...)

Um comentário:

  1. Realmente, existem momentos em que nada consegue preencher o vazio dentro de nós. Muitas vezes não sabemos nem por que sentimos esse vazio, mas sabemos que ele existe, e pede por alguma coisa que não temos consciência do que venha a ser.Precisamos saber o que acontece conosco, dentro de nosso intimo para depois termos a plena certeza do que deveremos dizer, sem medo de falar errôneamente. Gostei muito d seu texto, e é incrivel como eu me acho nas coisas que você escreve! e isso é tão gostoso, saber que não estou sozinha no mundo, que outras garotas passam pelo o que eu passo tbm :) Parabéns, está tudo maravilhoso por aqui.

    ResponderExcluir