terça-feira, 13 de julho de 2010

Só agora percebi a importância que você tem pra mim. E eu quase te perdi!

 História Fictícia
       "Nunca imaginei que isso aconteceria um dia. Me sinto culpada por tudo que aconteceu na última semana. Talvez se eu tivesse sido mais sutil e compreenssiva, as coisas não tivessem chegado a esse ponto que chegou."
        Muito prazer, meu nome é Lívia e eu tenho 13 anos. Tenho uma irmã mais velha, a Ana Cláudia, de 17. Em um curto período de tempo, nossa relação mudou muito. Meus pais trabalham demais e são poucos os minutos em que encontro com eles durante a semana. Portanto, passo a maior parte do meu tempo com Ana. Mas nossa relação nunca foi boa...
        Sempre achei que briga entre irmãos fosse algo comum.Todos já discutiram, não é? Mas o valor das palavras...Ah, as palavras! Elas podem causar um impacto tão grande! Eu e Ana sempre discutíamos, a maioria das vezes por coisas supérfluas, muito supérfluas. Mas as brigas começaram a ficar mais frequentes a partir do momento em que minha mãe decidiu que trabalharia fora, e nós passávamos então a maior parte do tempo sozinhas em casa. As brigas eram violentas.
       Meu pai era rigoroso, e cobrava de Ana estudos e mais estudos afim de que ela entrasse em uma boa faculdade federal, pra que ele não tenha tantos custos e possa nos sustentar tranquilamente. A pressão era tanta, que ela não aguentou e resolveu sair de casa. Ela estava a alguns meses de se tornar maior de idade, e achava que agora então já poderia se virar sozinha.
       Era uma sexta-feira, e ao chegar em casa após a escola, me deparei com o uma enorme bagunça de roupas em nosso quarto. A parte de Ana estava vazia. Ela teria fugido? Na mesma hora, peguei minha agenda e liguei para a casa de Kelly, a melhor amiga de Ana. Claro, ela estava lá! Tive um surto! A chamei de irresponsável, inconsequente, idiota, mesquinha e tantas outras coisas toscas que agora me envergonho ao lembrar. Ela não podia se livrar de tudo, assim as coisas cairiam era sobre mim! Meu Deus, como eu era egoísta! Como pude pensar assim?
      Eu então me revoltei. Meus pais sequer desconfiaram, já que chegaram de madrugada. No dia seguinte, a pior notícia que já recebi em toda a minha vida: Ana Claudia estava no hospital, após ter sofrido um grave acidente na estrada junto de seu amigo. Eles iam para uma cidade próxima, onde ela ficaria nos próximos meses. Foi um choque pra mim! Fiquei sem reação. Cai em prantos. "O que você está fazendo, Lívia? Por que está chorando? Foi escolha dela! Idiota". Não aguentei, liguei para meus pais e fomos imediatamente vê-la.
      Ela estava inconsciente, em estado grave, com vários ferimentos por todo o corpo. Eu não aguentava vê-la assim! Ela era idiota, mesquinha, irritante...mas era a MINHA irmã, e eu a amava! Agora parecia tarde pra lhe dizer isso. Um sentimento de culpa me predominou. Por que esperei tanto? Por que não aproveitei enquanto estava ao lado dela ao invés de ter sido tão estúpida e arrogante?
      Nas próximas semanas dediquei meu tempo todo a ela. Eu não podia deixá-la sozinha! Toda a vida, sempre a deixei. Agora ela precisava de mim, eu tinha que ajudá-la! Assim que ela abriu os olhos pela primeira vez após o acidente, e abriu aquele sorriso enorme ao me ver a seu lado,  foi pra mim uma gratificação enorme! Eu ainda tinha minha irmã ali!
       Ana perdeu o movimento das pernas, e teve de fazer tratamentos de quimioterapia, as quais eu sempre a acompanhava. Ela quase entrou em depressão, se sentia excluída e solitária.Eu faltaria á escola então, mas jamais a deixaria sozinha. Um sentimento enorme crescia entre nós, e éramos inseparáveis.
        Hoje é o dia tão esperado por ela, e talvez não seja como ela esperava que fosse. Hoje Ana completa seus 18 anos! Preparamos uma surpresa à ela, com um belo café da manhã. Sabíamos que ela ainda estava limitada a sair dali, mas eu não dexaria que isso estragasse seu aniversário tão esperado.
       _ Parabéns, Ana! Hoje é o SEU dia! Você está tão linda! E esse sorriso? Essa é a MINHA irmã! - lágrimas escorriam em minha face, ao ver que minha irmã estava ali, em casa, e que passei tão perto de a perder, sem ao menos dizer o que eu realmente sentia. _ Eu te amo! Desculpa por guardar isso tanto tempo pra mim. Desculpa por não ser a irmã que você merecia. Estarei do seu lado pra tudo!
       _ Não chore! Eu odeio te ver chorar, portanto, acabe com suas lágrimas e escute. Foi você Lívia, que por tanto tempo se dedicou a mim, e esteve sempre comigo! Se estou aqui hoje, é por você. Obrigada pela força que me deu, minha irmã. Eu não conseguiria sem o seu apoio. Eu me sentia tão sozinha antes...Que bom te ter ao meu lado! Serei eternamente grata a ti. Essas tuas palavras, foram  o melhor presente que eu já recebi em toda minha vida! Eu te amo, irmã amiga!

História 100% fictícia, feita para o projeto Bloínques, 25º Edição Musical.

4 comentários:

  1. É tão estimulante quando vemos irmãos se dando bem! E é melhor ainda quando eles criam um vincúlo tão forte como a amizade, que não importa o que aconteça é para SEMPRE!Hoje é tão raro um amizade que crie um vincúlo de irmandade. E quando isso ocorre parace que tudo fica mais fácil e mais simples, como se a vida fosse um eterna brincadeira! Nos esquecemos de tudo quando estamos com uma pessoa que é nosso IRMÃO AMIGO! E ainda bem que eu decobri minha IRMÃ AMIGA, pois, hoje não vejo minha vida sem ela. Sem suas brincadeiras, seus conselhos,sem suas bobeiras que me fazem sorrir quando o mundo parece desmoronar! Te amo muitoo DONA LETÍCIA!

    ResponderExcluir
  2. Nossa *.*
    gostei demais do texto!
    eu tenho um irmão e nós brigamos o tempo todo, mas a gente se entende.. briga entre irmão é normal, mas tem limite.

    Muito legal aqui *--* Estou te seguindo! Beijos'

    ResponderExcluir
  3. gosteei muito do seu texto ..
    tenho um irmão, sempre estou brigando com ele :D
    Mais no fim acaba dando TUDO certo :D
    *--*

    ResponderExcluir